SEJA ÉTICO

SEJA ÉTICO: Todos os direitos reservados. É permitida a reprodução do conteúdo deste blog com a devida citação de sua fonte.

terça-feira, 1 de agosto de 2017

Primeira fase

Primeira fase, grupo 3:

03/6/1978: Brasil 1x1 Suécia – Estádio Jose Maria Minella, Mar Del Plata
 

Não foi um bom jogo, o segundo tempo foi mesmo muito ruim. Rivellino correu muito, e passava por ele a maioria das jogadas brasileiras. A Suécia abriu o placar aos 37 minutos do primeiro tempo, com Sjoberg, após Zico perder a bola no campo de ataque e dar origem a um contra-ataque, e a defesa brasileira bobear. Menos de um minuto depois, Toninho Cerezo deu um passe lateral no meio-campo, que lembrou muito a besteira que ele viria fazer quatro anos depois no jogo com a Itália, que nos eliminou do Mundial da Espanha. Para sorte brasileira, em 1978, Sjoberg não conseguiu interceptar o passe. Aos 45 minutos, o mesmo Cerezo fez um lançamento da direita para Reinaldo, que venceu o marcador e fez o gol de empate e comemorou com o braço direito erguido e o punho fechado, um gesto, segundo ele mesmo disse anos depois, "revolucionário e socialista". Nesse jogo aconteceu um dos maiores erros da arbitragem em Mundiais. Aos 45 minutos do segundo tempo, após cobrança de escanteio cobrada por Nelinho, Zico marcou de cabeça o gol de desempate, mas o árbitro galês Clive Thomas não o validou, alegando ter encerrado o jogo enquanto a bola estava no ar. Um absurdo! Apesar de não ter feito uma boa estreia, o Brasil merecia  mais a vitória do que a Suécia. fr
 
Escalação (em ordem numérica da camisa): Leão, Toninho, Oscar, Amaral, Toninho Cerezo (Dirceu), Edinho, Zico, Reinaldo, Rivellino, Batista e Gil (Nelinho).

video
 
07/6/1978: Brasil 0x0 Espanha – Estádio Jose Maria Minella, Mar Del Plata                                                  
 
O jogo foi ruim – principalmente o primeiro tempo – , com muitos passes errados, de ambos os lados. Rivellino não jogou, devido a uma contusão, e o goleiro Leão passou a capitão. Aos 11 minutos do segundo tempo, após lançamento de Dirceu em profundidade do meio-campo para Toninho Cerezo, dois jogadores espanhóis esperaram que o goleiro fizesse a defesa, a bola sobrou livre para Reinaldo, que chutou em cima do goleiro. Uma excelente oportunidade desperdiçada. Nesse jogo, no segundo tempo, Jorge Mendonça começou a aquecer aos 21 minutos, mas somente entrou no lugar de Zico aos 39; foram 18 minutos aquecendo. Aos 29 minutos do segundo tempo, após péssima saída de Leão, a bola sobrou limpa para o espanhol, mas Amaral salvou o gol duas vezes (veja o vídeo abaixo). Foi a melhor oportunidade do jogo. No outro jogo da rodada, a Áustria garantiu sua classificação para a segunda fase, ao vencer o seu segundo jogo. O Brasil, com apenas dois empates, ainda tinha que vencer o próximo jogo para garantir sua classificação. fr
 
Escalação: Leão, Nelinho (Gil), Oscar, Amaral, Edinho, Toninho Cerezo (Chicão), Batista, Dirceu, Toninho, Reinaldo e Zico (Jorge Mendonça).
 
video

11/6/1978: Brasil 1x0 Áustria – Estádio Jose Maria Minella, Mar Del Plata
 
O Brasil jogou sem Reinaldo e Rivellino, precisando da vitória para garantir a classificação. Zico somente entrou aos 38 minutos do segundo tempo. E o gol somente saiu aos 40 minutos do primeiro tempo, após cruzamento de Jorge Mendonça nos pés de Roberto Dinamite, que chutou no ângulo direito do gol austríaco; a bola ainda desviou em um adversário. O goleiro Leão não foi exigido no primeiro tempo. O segundo tempo foi bem melhor, e foi equilibrado. Apesar da derrota, a Áustria acabou em primeiro no grupo, com o Brasil em segundo. Ambos terminaram com quatro pontos, mas os austríacos tiveram duas vitórias, e o Brasil somente uma. fr
 
Escalação: Leão, Toninho, Oscar, Amaral, Rodrigues Neto, Toninho Cerezo (Chicão), Batista, Jorge Mendonça (Zico), Roberto Dinamite, Dirceu e Gil.

Nenhum comentário: